QUEM É O HOMEM?

Conhecei bem a Imagem Verdadeira do homem: o homem é Espírito, é Vida, é Imortalidade.
Deus é a Fonte Luminosa do homem e o homem é luz emanada de Deus. Não existe fonte luminosa sem luz, nem existe luz sem fonte luminosa. Assim como luz e fonte luminosa são um só corpo, Deus e homem são um só corpo.
Porque Deus é Espírito, o homem também é Espírito. Porque Deus é Amor, o homem também é Amor. Porque Deus é Sabedoria, o homem também é Sabedoria.
O Espírito não é peculiar à matéria, o Amor não é peculiar à matéria, a Sabedoria não é peculiar à matéria.
Portanto, o homem, que é Espírito, que é Amor, que é Sabedoria, nada tem a ver com a matéria.

(Trecho da "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade", revelada ao Prof. Masaharu Taniguchi).

segunda-feira, setembro 29, 2008

PONTOS DE VISTA

Algumas correntes filosóficas ou religiosas, que indicam a meditação como principal ferramenta de desenvolvimento pessoal, defendem que o processo meditativo tem como seu objetivo último a entrada num estado de “vacuidade” ou de “insubstancialidade” e que, quando se alcança grande experiência nesse processo, então, resulta o que se poderia designar por grau máximo do auto-aperfeiçoamento ou autoconhecimento.

Outras correntes, por sua vez, defendem que para além da insubstancialidade se pode atingir pela meditação a contemplação ou visualização interior da Imagem Verdadeira, que se traduz em Sabedoria, Amor, Vida, Provisão, Alegria e Harmonia infinitos, que são, afinal, os atributos da natureza búdica de que falou Sakyamuni Buhda ou a natureza divina de que falou Jesus Cristo, quando disse: “o Reino de Deus está dentro de vós”... Então, a contemplação desses atributos divinos que fazem parte da nossa própria Imagem Verdadeira, ou seja, da nossa “Imagem e Semelhança de Deus” a que se refere a Bíblia, já no seu primeiro livro de Gênesis, é que nos permitirá manifestar na vida diária ações virtuosas de forma muito espontânea e natural.

Agora, eu questiono:

- Se na mais profunda essência tudo resulta ou é insubstancial ou nada, então, por que lutarmos por objetivos de aperfeiçoamento pessoal manifestado em palavras e ações concretas?

- O fato de se encarar a matéria como nada e insubstancial, em alguns países da Ásia onde essa visão filosófica predomina, não é o que tem levado a grande miséria e ausência de desenvolvimento tecnológico, o qual tem trazido para a Humanidade mais benefícios do que prejuízos?

- O fato de a matéria ser nada ou insubstancial faz dela algo de valor desprezível, embora ela seja manifestação da Mente Criadora?

Uma verdade insofismável é que o Ser Humano é o único ser vivente sobre a face da Terra que tem a capacidade de criar, modificando completamente o ambiente em que vive, de acordo com modelos previamente bem elaborados na mente. A maioria dos seres humanos usa esse potencial criativo infinito visando uma melhoria contínua do mundo, em conformidade com as suas crenças e valores, o que certamente dá razão ao texto bíblico que diz que o Homem é também "Homem-Deus" porque foi criado “à Imagem e Semelhança de Deus”.
.
Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.

terça-feira, setembro 02, 2008

A LUZ DO CRESCIMENTO

Para a Vida é necessária a luz.
Masaharu Taniguchi, in “A Verdade da Vida”, vol. 37.

Um experimento que eu recordo frequentemente, por considerá-lo com conteúdo espiritual, é o que o meu professor de Ciências Naturais me incentivou a realizar no oitavo ano de escolaridade. Coloquei a germinar sobre um algodão úmido um feijão; após a germinação, fiz o transplante da pequena planta para um vaso e, desde os primeiros dias, acompanhei num misto de curiosidade e de ansiedade todo o processo de crescimento.

Eu considero esse experimento com conteúdo espiritual porque pode ser usado como objeto de meditação, visando o alcance de uma maior sabedoria para uma vida feliz. Na nossa meditação, de olhos fechados, sentados tranquilamente, num ambiente bastante silencioso, imaginemos como uma semente de qualquer árvore da nossa observação visual cotidiana germina com a umidade, começa a crescer, forma o caule, como brotam os pequenos ramos, as folhas, quiçá flores e frutos... O exercício meditativo leva-nos a transpor gradativamente a barreira do mundo físico para o não-físico, de uma percepção sensorial instantânea e parcial para uma percepção abrangente e espiritual, que expande as fronteiras da vida e nos faz sentir unos com a Grande Vida que a tudo permeia.

Agora, se no exercício meditativo, visualizarmos a semente no centro de uma câmara quase escura, isto é, com um único pequeno orifício numa parede lateral... Como será o crescimento da planta de feijão, a partir do embrião? A resposta é óbvia: o feijão crescerá sempre em direção à luz, em busca da tênue claridade; longe da luz, ele cresceria fraco, delgado, amarelado e até morreria; à medida que se aproxima da pequena janela, ele vai ficando cada vez mais vigoroso e verde.

O experimento nos leva a concluir que para haver Vida é necessária luz. Deus é a Fonte Luminosa e o Homem é a Luz Emanada de Deus. A fonte luminosa e a luz formam um só corpo resplandecente. Ser Luz é manter um espírito alegre, uma atitude sábia nas horas de dificuldade, ter uma vida saudável, ter autoconfiança de que tudo o que precisamos está ao nosso alcance, expressar o amor nos sentimentos e atos e transmitir harmonia ao ambiente e pessoas do nosso convívio diário. Meditemos mais sobre o privilégio da nossa condição de sermos a luz emanada da Grande Fonte Luminosa!


Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.

segunda-feira, setembro 01, 2008

LUCROS E PERDAS

Que me é mais importante:
Meus lucros ou minhas perdas?

Lao- Tse, in “Tão Te Ching”.

A grande sabedoria do “livro que revela Deus” nos leva a refletir sobre lucros e perdas, em termos que vão muito além da contabilidade material.

A verdade é que, muitas vezes, as perdas contribuem mais para a nossa evolução, principalmente, o aprimoramento da Alma do que os ganhos. Tudo depende da maneira como encaramos a situação de dificuldade... Os ganhos podem nos levar frequentemente ao adormecimento e ao comodismo, enquanto, as dificuldades, quando encaradas como meros desafios e não como obstáculos, podem nos impelir para grandes vitórias, tanto espirituais, como materiais...

.
Se acreditarmos que “nós somos o que pensamos”, que “tudo o que somos surge com os nossos pensamentos” e que “com os nossos pensamentos fazemos o mundo”, então, concluiremos facilmente que a matéria é nada, sem qualidade inerente, e que “o que atribui qualidade à matéria é a mente, e somente ela”. Aqui reside o segredo de darmos a volta por cima das dificuldades!