QUEM É O HOMEM?

Conhecei bem a Imagem Verdadeira do homem: o homem é Espírito, é Vida, é Imortalidade.
Deus é a Fonte Luminosa do homem e o homem é luz emanada de Deus. Não existe fonte luminosa sem luz, nem existe luz sem fonte luminosa. Assim como luz e fonte luminosa são um só corpo, Deus e homem são um só corpo.
Porque Deus é Espírito, o homem também é Espírito. Porque Deus é Amor, o homem também é Amor. Porque Deus é Sabedoria, o homem também é Sabedoria.
O Espírito não é peculiar à matéria, o Amor não é peculiar à matéria, a Sabedoria não é peculiar à matéria.
Portanto, o homem, que é Espírito, que é Amor, que é Sabedoria, nada tem a ver com a matéria.

(Trecho da "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade", revelada ao Prof. Masaharu Taniguchi).

terça-feira, abril 21, 2009

AUTO-EDUCAÇÃO E ALO-EDUCAÇÃO

O desenho acima representa a natureza do ser humano integral, de acordo com Huberto Rohden (In: Educação do Homem Integral, Editora Alvorada). O círculo vermelho representa o corpo; a cor verde representa a mente ou intelecto; e, as emoções ou afetividades correspondem ao círculo laranja.

Os três círculos entrelaçados simbolizam o ego periférico da natureza humana. As sobreposições parciais dos círculos indicam que existem influências entre corpo, mente e emoções.

No centro, entre os três círculos coloridos, está uma região incolor, que simboliza o EU DIVINO ou EU CENTRAL ou ALMA do homem. Assim, como a área central incolor articula ou integra os círculos periféricos, também o EU central deve ser a base dos egos periféricos. Além disso, tudo o que ocorre nas áreas dos eus periféricos se reflete de algum modo no EU central, ou seja, as manifestações dos egos periféricos podem traduzir ou encobrir a manifestação do Eu central.

Portanto, verdadeiramente, educar quer dizer “eduzir”, ou seja, “conduzir para fora”. Não há como ter uma boa “alo-educação” – educação das periferias que gira em torno da moralidade do agir – sem focalizar e manifestar a verdade do Ser individual ou Eu divino ou Ser Búdico. Esta auto-educação é a manifestação da Imagem Verdadeira no mundo da existência fenomênico.

O Bhagavad Gita, o livro mais usado pelos adeptos do Hinduísmo, diz que o ego é o pior inimigo do EU, mas que o EU é o melhor amigo do ego. Diz ainda que o ego é um péssimo senhor da nossa vida, mas um ótimo servidor.

Jesus Cristo chegou a falar: “De mim mesmo, eu nada posso fazer; é o Pai em mim que faz as obras”. O filósofo Huberto Rohden explica: “No plano espiritual, o centro é a consciência da presença de Deus, e desse centro místico o homem permeia de vivência ética todas as periferias da sua vida”. Este filósofo místico também defende que é pela meditação que “a pessoa suspende quaisquer atividades do seu ego periférico, físico, mental e emocional, conservando-se, porém, plenamente consciente no seu Eu espiritual”.

Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.

sábado, abril 04, 2009

HOMEM-DEUS

Definir Deus como “Grande Vida”, “Grande Fonte da Vida”, “Mente Universal”, “Lei do Universo”, “Arquiteto do Universo” pode se transformar em mera conceituação filosófica abstrata. Também, chamar Deus de “Pai” e elaborar uma visão antropomórfica com base nessa designação é um reducionismo tão grande como o simples conceito filosófico abstrato.

Deus não é necessariamente um Ente abstrato, nem é o “Bom Velhinho lá de cima”. É sabedoria, é amor, é vida, é prosperidade, é alegria, é harmonia, é beleza que se manifesta através de nós porque somos a auto-realização de Deus, somos a “imagem e semelhança de Deus” de que fala a Bíblia e outras escrituras sagradas.

Se a um daltônico que não consegue ver a cor verde for dito que o verde existe, além das cores que ele consegue ver, certamente, ele duvidará do que lhe for dito. Isso comprova que ele é cego em termos de discernir a cor verde, embora enxergue outras cores. Assim é com as pessoas que não enxergam Deus, em si próprias; elas possuem cegueira espiritual que até pode não ser total, mas nem por isso deixa de ser cegueira.

Como pode o Homem atual saber que Deus existe realmente?

Ao contemplarmos uma flor, podemos achá-la bela. Muitas pessoas pensam que a beleza que vemos é uma propriedade intrínseca da flor. Mas, diversas pessoas percebem o belo na flor de maneira diferente, isto é, cada uma destacará uma razão para achar a flor bela. Até, algumas pessoas poderão achar a flor observada não muito ou nada bela. Isto só comprova que a beleza reconhecida na flor efetivamente existe na mente de quem observa. Em suma, se uma rosa ou outra flor nos parece bela é porque o “belo” está dentro de nós. Do mesmo modo, se os gatos ou cães não reconhecem a beleza das flores é porque o “belo” não existe nas suas mentes.

Agora, a resposta à pergunta formulada acima: se podemos ter conhecimento de Deus é porque existe no interior de cada um de nós bem impressos os atributos divinos. No nosso interior existe algo que é idêntico a Deus, que se manifesta em sabedoria infinita, amor infinito, vida infinita, provisão infinita, alegria infinita e harmonia infinita, ou seja, os supremos atributos divinos. Assim, nós temos um Potencial Infinito de crescimento se nisso acreditarmos.

Como afirmou o Dr. Masaharu Taniguchi:

As pessoas que estão plenamente satisfeitas com a situação atual não têm necessidade de procurar Deus e por isso não tentam ver nem sentir Deus. Na verdade não são incapazes de ver Deus; apenas não procuram vê-lO (A Verdade da Vida, vol. 2, p. 116).

Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.


VERDADE-ESSÊNCIA

A minha última mensagem pode ter induzido a polêmicas. Alguém pode achar muito discutível o conceito Verdade, já que conforme a convicção religiosa ou filosófica de cada pessoa o que é a Verdade para uma pode não ser para outra. Isso é apenas uma interpretação equivocada do que foi escrito, como adiante se expõe.

Realmente, a Verdade-essência que liberta, salva ou ilumina qualquer ser humano é comum a todas as religiões! Esta Verdade-essência é prática, isto é, conduz à sabedoria, ao amor, à vida, à provisão infinita, à alegria e à harmonia, que são atributos divinos libertadores para o ser humano. Esta Verdade é prática! Conduz à salvação! Conduz à iluminação!

Então, o que é a Verdade?

Jesus Cristo responde: “E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará”. A Verdade que liberta é o conhecimento por experiência própria de que o Homem é filho de Deus, possuidor de personalidade autônoma e capaz de criar livremente, do seu interior, do seu EU, o próprio destino. Por isso, Jesus também disse “o Reino de Deus está dentro de vós” e “vós sois deuses”. Por sua vez, na Sutra do Nirvana está escrito: “Todas as criaturas possuem, sem exceção, a natureza búdica, portanto este é o significado do Eu...”.

Quando o ser humano assume a consciência contínua da sua natureza de Homem-Deus descobre o seu Potencial Infinito de crescimento, ele perde o medo de fracassar e encara todas as circunstâncias como vantajosas para o seu aprimoramento espiritual. Assim, até agradece pelas adversidades que surgem na vida porque elas são convites ao exercício da força autocriativa que consegue extrair do Deus do seu interior ou EU superior.

Se as pressões externas conseguem desvirtuar a nossa personalidade, retirar a originalidade da nossa vida e apagar a expressão da nossa força autocriativa, é porque desconhecemos a nossa Imagem Verdadeira de filhos de Deus ou seres búdicos (filho de Deus = ser búdico), possuidores de força infinita criadora; então, nós perdemos o modo correto e autônomo de viver, passamos a ser servis a opiniões alheias e nos encaminhamos irreversivelmente para a frustração e derrota espiritual.

A força infinita que nos leva pela meditação ao conhecimento e contemplação da nossa Imagem Verdadeira – de que cada um de nós é filho de Deus (ser búdico) – também, nos leva à convicção de que nada neste mundo poderá nos prejudicar e de que o ambiente de cada pessoa é sombra da sua própria mente criadora – consciente e subconsciente.

O conhecimento desta Verdade-essência comum a todas as religiões leva à experiência pessoal prática de que mesmo que todas as circunstâncias sejam desvantajosas, a fé religiosa pode vencê-las!

Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.