QUEM É O HOMEM?

Conhecei bem a Imagem Verdadeira do homem: o homem é Espírito, é Vida, é Imortalidade.
Deus é a Fonte Luminosa do homem e o homem é luz emanada de Deus. Não existe fonte luminosa sem luz, nem existe luz sem fonte luminosa. Assim como luz e fonte luminosa são um só corpo, Deus e homem são um só corpo.
Porque Deus é Espírito, o homem também é Espírito. Porque Deus é Amor, o homem também é Amor. Porque Deus é Sabedoria, o homem também é Sabedoria.
O Espírito não é peculiar à matéria, o Amor não é peculiar à matéria, a Sabedoria não é peculiar à matéria.
Portanto, o homem, que é Espírito, que é Amor, que é Sabedoria, nada tem a ver com a matéria.

(Trecho da "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade", revelada ao Prof. Masaharu Taniguchi).

terça-feira, fevereiro 09, 2010

A TÉCNICA DA GRATIDÃO


Você já ouviu falar em Naikan?
.
É uma técnica para exercitar a gratidão, que foi concebida por Yoshi Yamamato (1906-1988) com base nos princípios do Budismo Terra Pura – uma das principais tradições do buddhismo Mahāyāna ou Grande Veículo.
.
Praticar Naikan é romper com a avaliação egocêntrica da vida e desenvolver uma nova percepção com relação a tudo e todos que nos rodeiam, o que nos faz viver com mais significado e sentido. A prática do Naikan traz paz e harmonia interiores que se expressam espontaneamente na vivência diária, principalmente, com maior riqueza de relacionamento com outras pessoas.
.
A prática do Naikan passa por uma auto-reflexão ou meditação analítica conduzida por três perguntas básicas:
.
1. O que recebi das pessoas na minha vida?
.
2. O que dei a elas em retorno?
.
3. Que tipo de problema ou dificuldade eu criei para elas?
.
O Naikan conduz-nos a uma contabilidade bem objetiva e prática das nossas relações, em termos de ganho (o que eu ganhei?), doação (o que eu dei?) e indução de dano (o que eu causei de dificuldade?).
.
Claro, o resultado inevitável do exercício de contabilidade, geralmente, nos leva ao sentimento de gratidão.
.
O autor do livro Naikan – Gratitude, Grace and the Japanese Art of Self-Reflection (Naikan – Gratidão, Graça e a Arte Japonesa da Auto-Reflexão), Gregg Krech afirma sobre os benefícios da prática da gratidão através do Naikan:
.
“Viver uma vida com gratidão é abrir os olhos sobre as maneiras incontáveis em que somos sustentados neste mundo. Uma vida vivida desse jeito traz muito menos sofrimento e infelicidade porque a nossa atenção não se dirige mais a nós mesmos somente, mas também aos outros”.
.
Também, podemos praticar o Naikan em relação a um indivíduo ou a um grupo de pessoas, especificamente.
.
O melhor, na prática do Naikan, é responder às três perguntas com lápis e papel e fazer reflexões sucessivas sobre o que se escreveu.
.
Está comprovado que o exercício do Naikan traz ao praticante maior apreciação pela vida, que resulta de um novo olhar sobre o mundo e as pessoas à volta. Revoluciona a avaliação que fazemos habitualmente sobre os nossos pais, familiares, amigos, colegas, emprego e o próprio mundo. Como disse um praticante: “É como sair do seu próprio umbigo e começar a apreciar a paisagem de outro lugar”.
.
O especialista Gregg Krech aconselha a posterior concentração no esforço da expressão externa de gratidão, mesmo que não haja em nós ainda a correspondência total de sentimento. Assim, verbalizar “Muito Obrigado!” ajuda muito o despertar do sentimento íntimo e sincero de gratidão, pois como ele diz: “Muitas vezes, é o hábito da atitude externa da gratidão que irá despertar a experiência interna”. Ou seja, o hábito de agradecer concretamente é que gradualmente vai gerar o sentimento, e não o inverso.
.
É verdade que agradecer dá trabalho e exige, por vezes, muito esforço porque passa pela ruptura da nossa casca dos cinco venenos da mente – orgulho, aversão, apego, inveja e ignorância.
.
Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

ESTRUTURAÇÃO DA VIDA E AÇÃO

Para que se efetue uma estruturação da vida que faça sentido, cada pessoa deve ter uma visão clara, objetiva e correta sobre como ela deve ser. Contudo essa visão de vida é insuficiente. É preciso AÇÃO! O grande dilema para muitos é como agir.

Realmente, alguém visualizar ou desejar apenas como deveria ser a sua vida ajuda muito, porém não leva muito longe. A vida precisa ser autoconstruída. Cada um de nós é o arquiteto, engenheiro e construtor da sua própria vida. A maneira como agimos ou não agimos pode nos levar à auto-realização ou à frustração e impotência. Na caminhada poderemos eleger corresponsáveis para algumas tarefas e vivências, todavia cada um tem absoluta liberdade para escolher os seus cúmplices, por isso, não é justo apontar culpados, caso ocorram insucessos.

Como agir? Podemos optar pela via da auto-expansão ou da auto-anulação. Promover a auto-expansão é procurar crescer sem levar outros juntamente, isto é, anulando os outros. Promover a auto-anulação é não cair no engano e contradição de ter de anular o outro para atingir o crescimento pessoal. Claro que o segundo caminho é mais consistente e gratificante, portanto, gerador de maior benefício coletivo e individual, embora não seja o mais fácil e imediato.

No caminho da auto-anulação, agir e trabalhar significa dar alívio a outros através das nossas ações, o que também traz maior desenvolvimento individual. O enriquecimento individual não é o objetivo principal, mas sim o enriquecimento da coletividade através da prestação de um serviço ou fornecimento de um produto, portanto, fazendo os outros enriquecerem, nós enriquecemos juntos; fazer os outros felizes, também, nos faz felizes; deixar os outros alegres nos faz alegres. Em suma, a energia que conferimos ao outro retorna a nós em abundância. É isto que Jesus Cristo quis dizer com: “Não julgueis, e não sereis julgados; perdoai, e sereis perdoados; daí, e dar-se-vos-á. Uma medida boa, cheia, recalcada e transbordante, vos será lançada no seio. Porque com a medida com que medirdes vos medirão também a vós”. (Lucas, 6:36-38).

Afinal, trata-se da lei de Newton: “A toda a ação corresponde uma reação da mesma intensidade e sentido contrário”. O que nós fazemos sempre volta para nós, pode não ser sob a mesma forma, mas na mesma proporção, seja bem ou mal, conforme a nossa interpretação. Esta lei não se aplica somente ao mundo físico ou material, mas também ao mundo mental, emocional, sentimental, moral e econômico. Então, se queremos que algo nos aconteça é agir exatamente nesse sentido.

E o que dizer da não-ação? Não agir é o mesmo que agir passivamente. A vida não pode ser estruturada só com pensamentos e planos. É preciso entrar em ação e passar os planos e pensamentos à prática. A vida é como empurrar um carro ladeira acima; no momento em que se pára de empurrar, o carro começa a descer. Assim, se não houver ação efetiva, nada ocorrerá. Também, é preciso agir no momento adequado, porque quem não semeia no devido tempo não colhe na hora desejada.

Alguém pergunta: por que a vida tem de ser assim? Porque a vida é atividade; onde não há atividade não há vida. Se você quiser suprimir a vida é não agir, simplesmente, a respeito de qualquer desafio ou dificuldade. É ficar indeciso e deixar que a inércia tome conta de si... Não decida nada e, mesmo assim, você já está decidindo! É melhor correr o risco de errar do que ficar na zona de conforto, porque a vida só progride, desenvolve e aprimora através da ação e das múltiplas experiências.

Um grande abraço do Kabiá-Kabiaka.