QUEM É O HOMEM?

Conhecei bem a Imagem Verdadeira do homem: o homem é Espírito, é Vida, é Imortalidade.
Deus é a Fonte Luminosa do homem e o homem é luz emanada de Deus. Não existe fonte luminosa sem luz, nem existe luz sem fonte luminosa. Assim como luz e fonte luminosa são um só corpo, Deus e homem são um só corpo.
Porque Deus é Espírito, o homem também é Espírito. Porque Deus é Amor, o homem também é Amor. Porque Deus é Sabedoria, o homem também é Sabedoria.
O Espírito não é peculiar à matéria, o Amor não é peculiar à matéria, a Sabedoria não é peculiar à matéria.
Portanto, o homem, que é Espírito, que é Amor, que é Sabedoria, nada tem a ver com a matéria.

(Trecho da "Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade", revelada ao Prof. Masaharu Taniguchi).

terça-feira, dezembro 23, 2014

A VIDA NO INFERNO OU NO PARAÍSO

A palavra “inferno” provém etimologicamente do latim de “inferi”, que quer dizer literalmente “lugar inferior”. Assim, viver no inferno é simplesmente assumir uma existência terrena inferior, isto é, destituída de sentido.
Qual é o sentido da vida?
O Professor Masaharu Taniguchi explicita claramente, em vários trechos dos seus escritos, que a vivencia terrena tem um propósito ou sentido bem definido – “evoluir para sempre”, ou seja, o ser humano como autêntico Filho de Deus deve expressar neste mundo a sua vocação divina de criador do ambiente em que vive. Claro, no inevitável uso do livre arbítrio existe a possibilidade de se optar por viver no paraíso ou no inferno, como destaca a citação do parágrafo subsequente.
Pela ação da lei de causa e efeito, criamos em nossas vidas ora o paraíso, ora o inferno. É nessa lei que reside o segredo do surgimento das mais variadas tragédias e das mais variadas comédias neste mundo. (TANIGUCHI, Masaharu. Comande sua vida com o poder da mente. 15a. Ed. São Paulo, Seicho-No-Ie do Brasil, 2007. P. 23).
Quando o ser humano não manifesta no mundo fenomênico a sua missão transformadora e criadora no sentido positivo – vivificando a si e ao ambiente que o rodeia –, orientado pelo Eu Superior, mas apenas segue as tendências imediatistas do “ego” que o alienam, isto é, só o fazem subsistir sem escutar e seguir a Voz do seu Deus Interior, então, se torna infeliz e experimenta uma sucessão de situações infernais, que podem levar à depressão e ao suicídio. Por isso, quem não cresce espiritualmente de modo dinâmico e contínuo, com certeza, sente um vazio de insatisfação interior e desce inexoravelmente a ladeira para o “inferno”, já aqui na vida terrena, porque passa a sentir intimamente que ela é destituída de sentido, o que é a própria infelicidade.
Em suma, o sentido da vida é a “felicidade”!...
E o que traz felicidade? Muito dinheiro? Uma casa grande e confortável? Realização profissional? Família? Vida em comunidade? Ou manifestar no mundo das formas a sua essência divina de Filho de Deus, através de atributo elevados, como: sabedoria, amor , vida, compaixão, alegria, harmonia, prosperidade e um coração bondoso e apaziguado?
O grande esclarecimento trazido pelo Pensamento Iluminador da Humanidade, na mensagem do Dr. Masaharu Taniguchi, é que qualquer ser humano, como legítimo Filho de Deus, tem o poder de criar e transformar o mundo em quer viver pelo seu poder mental ou Poder da Mente. Portanto, quanto mais a mente do ser individual procurar moldar-se pelas virtudes que emanam da Mente Universal, ou Mente de Deus, ou Grande Vida Universal, que cria e mantém tudo o que existe e vive harmoniosamente no Universo, mais o indivíduo vive o Paraíso na Terra, bem longe do “inferno” ou “existência inferior”.
A lei mental da causa e efeito diz que “o que semearmos, certamente, colheremos”, por conseguinte, se a nossa mente semear bons pensamentos, colheremos boas palavras e ações, além de reações positivas e recompensadoras de todos os seres viventes que convivem conosco, sem olvidar o Universo inteiro.
Um grande abraço do
Kabiá-Kabiaka.

domingo, dezembro 21, 2014

A IMPORTÂNCIA DA PRÁTICA DA MEDITAÇÃO SHINSOKAN


A palavra Shinsokan etimologicamente tem origem na língua japonesa, como resultado da composição de três ideogramas: Shin = Deus; so = pensar; kan = contemplar. Assim, por definição etimológica, é uma prática contemplativa que leva o indivíduo a pensar repetidamente, ou seja, a visualizar mentalmente, a Imagem de Deus em si próprio – a Imagem Verdadeira.
O aperfeiçoamento espiritual do indivíduo, além dos recursos dinâmicos que trazem a mudança do comportamento por esforço meticuloso e concentrado, conforme enfatiza detalhadamente o volume 7 da coletânea “A Verdade da Vida”, ainda, requer recursos estáticos que levam a uma mudança espontânea, gradual e definitiva, conforme o seguinte texto do Mestre Masaharu Taniguchi:
Todavia, ..., o homem precisa como o mergulhador que submerge nas profundezas do mar para voltar à superfície após colher preciosas pérolas, penetrar estaticamente nas profundezas da sua Imagem Verdadeira para aprender a trazer até este mundo das formas a Imagem Verdadeira que se encontra no interior sagrado do homem – isto é, aquilo que é originariamente harmonioso e perfeito, e que é Sabedoria infinita, Amor infinito, Potência infinita. (in ‘A Verdade da Vida’, v.8, Prefácio, p.8). (grifado nosso).
Existem vários métodos de meditação que são usados e defendidos por diversos credos religiosos e esotéricos. Em síntese, os métodos de meditação podem ser sistematizados em três vertentes, a saber: 1) de esvaziamento mental; 2) de concentração da força mental; e, 3) de concentração mental.
Em termos práticos, conforme já tive oportunidade de testar pessoalmente num retiro budista, o esvaziamento total da mente é inatingível, porque isso equivaleria a um estado de “não pensar” – como dizem os adeptos dessa corrente meditativa –, ou seja, uma total ausência de pensamento consciente que só é atingida em estado de sono profundo ou de morte física. Portanto, os que defendem o “esvaziamento mental” querem dizer efetivamente “tranquilização mental”, que é o máximo que conseguem na sua prática.
A metodologia de “concentração da força mental” é dirigida a um objeto ou assunto, o que pode levar a um estado temporário de pensamento concentrado que se traduz em movimento de objetos ou desenvolvimento de maior acuidade de atenção e raciocínio; o efeito benéfico dura o tempo da prática ou um pouco mais, o que não se apresenta de grande utilidade, além de ser uma prática bastante cansativa se for muito prolongada.
A Meditação Shinsokan é uma prática de “concentração mental” cujos efeitos são crescentemente duradouros, isto é, prolongam-se cada vez mais além do tempo da prática, à medida que esta é exercida como hábito. Trata-se da contemplação da Imagem Verdadeira de Homem Filho Perfeito de Deus, o que leva a uma purificação mental sem esforço, pois a ação contemplativa concentrada das virtudes divinas inerentes ao Ser Humano, como Sabedoria, Amor, Vida, Provisão, Alegria e Harmonia, na perspectiva do Infinito, conduz inexoravelmente a uma elevação espiritual que se reflete no caráter do dia-a-dia. Esta concentração mental na Essência Divina pessoal, como um mergulho no Oceano Paradisíaco das virtudes infinitas, é acompanhada de vibrações de alento espiritual produzidas pela sintonia com a Mente Cósmica ou Mente de Deus. É uma sintonia que faz com que o praticante irradie um biomagnetismo que cura negatividades e doenças para sempre, principalmente, em si próprio.
Em conclusão, pratique a meditação Shinsokan, todos os dias sem falta, e a sua vida se transformará continuamente para a vivencia ideal das suas virtudes divinas.
Um grande abraço do
Kabiá-Kabiaka

segunda-feira, dezembro 15, 2014

A FORÇA DA PALAVRA E O DESTINO DE UM POVO

Para contemplar a real força da palavra basta refletir demoradamente sobre o seguinte texto do Professor Masaharu Taniguchi:
Embora proferida em tom de brincadeira, uma palavra captada pelos seus ouvidos será de alguma forma gravada em seu subconsciente e terá o poder de concretizar o conteúdo dela em seu corpo e ao seu redor..., captando a palavra repetidas vezes pelo ouvido, ela transformar-se-á numa grande força, e as coisas acontecerão conforme o sentido da palavra proferida. (in ‘A Verdade’, v.9, p.165). (grifado nosso).
Como existe subconsciente individual, as ciências sociológicas já comprovaram que existe também um subconsciente coletivo, que influencia as tendências de comportamento da sociedade e das tomadas de decisão dos governantes de um país, pois existe um meio ambiente sociocultural específico de cada povo, além do meio físico, biológico e econômico. Como o indivíduo e o grupo influenciam e condicionam o meio, também tem o seu comportamento influenciado por este. Assim, cada um também é produto do meio socioeconômico e sociopolítico em que foi criado e vive. As palavras e slogans repetidos vezes sem conta vão-se gravando e cristalizando no subconsciente de cada pessoa e várias pessoas com a mesma informação repetida e gravada no subconsciente individual formam o que alguns pesquisadores chamam de Mente-Mestra, o Master Mind de Napoleon Hill, o que foi identificada como “subconsciente coletivo” de um conjunto de pessoas, abrangendo até o povo de um país inteiro.
A força da palavra escrita na forma da lei e das notícias impressas nos jornais, revistas e internet, somada às notícias, reportagens e propaganda partidária ou governamental, por via oral ou escrita, através da rádio, televisão e internet, determinam o rumo de muitos povos para o desenvolvimento ou para a decadência e destruição, quantas vezes, com guerras de amplitude internacional.
Os exemplos da História Universal são inúmeros para vários povos e países, mas basta focar no destino do povo alemão nas últimas oito décadas. No início da década de 1930 deu-se a implantação do nazismo, apoiado numa propaganda maciça de base ditatorial negativa, que desembocou na derrocada da Alemanha e de outros países, em 1945. Com o respeito aos valores positivos da democracia e dos direitos humanos, a partir de 1945, a Alemanha conheceu um progresso imparável que trouxe a sua reunificação em 1990 e transformou-a no país mais rico da Europa nos dias atuais.
Em conclusão, o povo brasileiro e os seus políticos dirigentes repetiam exaustivamente até 1992 que os problemas econômicos do Brasil resultavam exclusivamente de uma dívida externa impagável, já feita no tempo do colonialismo português – o que era uma mentira deslavada. Hoje, nenhum político ousa afirmar essa falácia nos seus discursos, que tem antes como foco principal transformar a sexta economia do mundo – a do Brasil, precisamente – numa situação economicamente mais justa, com igualdade de direitos a educação, saúde e renda para todos os brasileiros. Este novo discurso tem levado a um considerável incremento da autoestima e do orgulho de ser brasileiro em todo o povo.
Um grande abraço do
Kabiá-Kabiaka
Nota: Sobre este assunto não deixe de ver o vídeo: